sábado, 6 de novembro de 2010

OPINIÃO: Prisão do Ex-prefeito de Patu

Existem fatos que por mais que tentemos entender, não conseguimos. As acusações de desvio de dinheiro público pela administração do ex-prefeito Possidônio Queiroga, a creche inacabada, que subtrai da população carente um serviço essencial, até mesmo a prisão em flagrante do ex-prefeito Popó, são situações que não nos trazem mais admiração e espanto, é um quadro triste e antigo na história política de Patu e do país.

É claro que cabe ao poder jurisdicional do Estado julgar e punir, qualquer afirmação diferente disso seria leviana e incondizente com o atual Estado Democrático de Direito vigente no país, portanto, todos são inocentes até que se prove o contrário, jamais podemos nos afastar dessa verdade, no entanto, alguns fatos carecem de reflexão.

Se há parte prejudicada no suposto desvio de dinheiro da creche de Patu, esta é a própria população patuense, que, além de ter sua confiança depositada nas urnas traída, vê aquilo que poderia ser mais um benefício social para os mais carentes transformar-se em lixo e descaso. Estamos falando de dinheiro público, dinheiro recolhido de todos, que infelizmente, provadas as acusações, acaba servindo aos fins escusos e imorais de alguns poucos.

O interessante, é que é parte desta mesma população que deveria estar indignada que se levanta em defesa dos acusados de corrupção, a fiança, fixada pelo juiz em R$ 10.200,00 (Dez mil e duzentos reais), segundo notícias que circularam na cidade, foi levantada e paga em menos de 24 horas por este mesmo grupo de defensores, colocando o ex-prefeito em liberdade.

É claro que cada um faz do seu dinheiro o que quer. É claro que se a norma concede tal benefício, não há de se falar na legalidade da situação. Moral é algo sempre muito complicado de se discutir, é um conceito subjetivo que cabe a cada um formar o seu.
No entanto, pensando aqui com os meus botões, fico a pensar numa situação imaginária e confesso que fico triste com o que penso que aconteceria se fosse real, será que uma criança muito doente, necessitando de cirurgia de urgência, conseguiria levantar dez mil reais em menos de 24 horas em Patu?  Será que os mais abastados do município se compadeceriam desta situação? O que vale mais na terra das altas serras, as raquíticas e deformadas convicções políticas ou a vida humana? Cada um que busque a resposta nas suas convicções e no seu conhecimento da sociedade patuense.

O retorno de Possidônio à cidade de Patu, pós-prisão, foi comemorado como se um herói fosse, como se tivesse feito algo que enchesse o peito do patuense de orgulho. Como não quero fazer nenhum juízo de valor, mas apenas levar o leitor a uma reflexão, deixo algumas perguntas no ar: será que é deste tipo de exemplo que a sociedade local precisa? Será que é neste modelo de comportamento que vamos moldar a educação de nossos filhos? Será que não estamos confundindo fidelidade com falta de vergonha na cara?

A grande verdade disto tudo é que o verdadeiro patrimônio da cidade de Patu não se encontra nas contas bancárias dos mais abastados, muito menos nos cofres públicos frequentemente surrupiados por facínoras que alegam defender a coisa pública. O verdadeiro patrimônio da cidade de Patu encontra-se no homem simples, no agricultor, no operário, no cidadão de bem que trás o pão pra casa com o suor do rosto, naqueles que a despeito das agruras da vida e das dificuldades negam-se a vender seus ideais, negam-se a vender o que existe de mais precioso, a dignidade do ser humano.

Por Paulo Gustavo

4 comentários:

FRANCISCO disse...

Bastante oportuno esse comentário,assim como muito oportuna as perguntas.Realmente,será que qualquer outro ser humano de Patu,que necessitasse de um tratamento de saúde urgente,receberia o mesmo tratamento?Será que o dinheiro arrecadado, foi ganho com trabalho árduo?Quanto a paixão de algumas pessoas,por tal figura,fico calado pois isso já aconteceu antes,diversas pessoa que levaram a vida,no sub mundo do crime,tinham até fan clube.É muito comun se ver alguém enaltecendo a vida criminosa de alguém,alguns até acham lindo,porém os mais sábios sabem diferenciar,o joio,do trigo.

Kaliany disse...

meu caro amigo Paulo Gustavo, vc foi muito infeliz na sua opiniâo, tem erros que acontecem em beneficius propios, diferentemente do que esta acontecendo com ex-prefeito popó, toda a populacâo de patu sabe que popó deu a sua cabeça pelo o povo de patu e cometeu erros groceiros, mas pelo menos ele trabalhou pela a populaçâo e pelo o municipio, a prova foi quase 600 casas para o povo, onde o municipio tem menos de 12.000 mil pessoas e sempre o pagamento do fucionario em dia, ao contrario da atual gestâo, e sem falar de outros que foi empedidos de ser candidato e cassados por desvios de dinheiro publico e nâo tem a consiencia de assumir perante a populaçâo de patu por que sabe que errou por entereces propios a prova é ver os béns quando deixaram a prefeitura, e para finalizar meu caro amigo Paulo Gustavo eu digo o seguinte ladrâo por ladrâo eu vou com o que trabalhou pelo o povo e pelo o municipio

Susanna Lira disse...

AS PROVAS ESTÃO AÍ

A prova de que as coisas estão sendo tratadas de forma diferente e que as cobranças para o cumprimento das leis estão mais evidentes, basta verificarmos as últimas condenações de gestores públicos para devolver recursos mal-aplicados e não comprovados. Só esta semana, três foram condenados a devolver dinheiro: o ex-prefeito de Guamaré, João Pedro, que deverá devolver R$ 1 milhão do Fundef; o prefeito cassado de Angicos, Clemanceau Alves, que foi condenado a devolver 942 mil reais de recursos não-comprovados da Prefeitura e o ex-prefeito de Patu, Possidônio Queiroga, que foi preso e condenado a devolver 700 mil reais de uma creche que não foi construída...

PATU NOTÍCIA: Em PATU a situação é mais grave, os três últimos Prefeitos já foram condenados ou estão respondendo por Improbidade Administrativa, sendo que dois deles estão com os direitos políticos casados, e a atual Prefeita já coleciona processos que podem resultar em cassação e suspensão dos direitos políticos.

Mais grave ainda é que a própria população elegeu a atual prefeita que é esposa do Ex-Prefeito Ednardo Moura que tem os Direitos Políticos Cassados e teve sua candidatura em 2008 suspensa pela Justiça Eleitoral, e não tem qualificações para administrar a cidade, entregando assim o poder e o futuro de Patu a terceiros

Diogo Suassuna disse...

Parabéns pelo belo texto, Paulo Gustavo. Finalmente alguém em Patu com lucidez suficiente para não tratar um criminoso como herói.Os patuenses deveriam se envergonhar pelos prefeitos recentes que foram eleitos, TODOS com graves problemas com a justiça. A disputa agora é para ver quem é o menos pior, Ednardo, Evilásia ou Possidônio... que vergonha Patu!!!!